terça-feira, 30 de junho de 2009

Bella


video


Este filme é belo! Simples e belo! Uma história de amor urbana e profundamente humana, de um realismo desconcertante. Não há efeitos especiais, subterfugios visuais, maneirismos ou montagens alucinantes... são apenas emoções e sentimentos em estado líquido! E mais não digo... o melhor é verem-no, garanto-vos de que vão gostar. Depois, se quiserem, deixem aqui a vossa opinião!

"Se queres fazer rir Deus, conta-lhe os teus planos!"

Paulo Galindro

quinta-feira, 25 de junho de 2009

O João e os insectos

As crianças são mesmo assim. Durante o ano - especialmente no Natal e no aniversário - recebem montes de presentes, os quais, depois de algumas horas de atenção, são arrumados e esquecidos (e por vezes até trocados por uma simples mola de roupa ou até pelo laço do seu embrulho)... até que um dia!...
Foi o que aconteceu ao livro "UAU! Fantástica Enciclopédia Visual" publicado em Portugal pela Livraria Civilização Editora. O João recebeu este fabuloso e apelativo livro no Natal, e depois andou esquecido algum tempo. Agora passa horas a desfolhá-lo, a a observá-lo até com uma lupa, para que nenhum pormenor lhe escape. E foi através desta obra que o João descobriu recentemente a entomologia e a ilustração cientifica. Ele simplesmente adora desenhar à vista os insectos que povoam o livro, com um rigor no detalhe que me surpreende.
Será que temos aqui um seguidor de Pedro Salgado?

Adoro ver o João assim entusiasmado!

Paulo Galindro

segunda-feira, 22 de junho de 2009

A Natalina e o Marcelo

Pois é! Esta foi a grande surpresa de Domingo. O livro "Hoje não quero dormir!!!" de Alexandre Honrado e ilustrações da Natalina foi um dos livros seleccionados por Marcelo Rebelo de Sousa no seu programa "As escolhas de Marcelo".

Paulo Galindro

domingo, 21 de junho de 2009

Ill Dolce Fare Niente



Após uma manhã em que todos dormimos até às 13:15 (?!?!?!?!?!Céus como é possível, eu que costumo acordar às 7.00 h... escusado será dizer que fiquei como uma imensa dor de cabeça), o João e o Miguel ainda quiseram experimentar essa nobre arte de não fazer absolutamente nada, e que os italianos tão bem definiram como Ill Dolce Fare Niente. Mais tarde, quando o sol se tornou mais amigo, a facção masculina cá de casa foi à praia testar esse conceito na areia.

É bom redescobrir o prazer Zen em passar um dia a fazer absolutamente nada (tenho de pedir aos meus filhos para me darem um workshop), especialmente quando, para a semana vou dar início à ilustração das paredes da Biblioteca Municipal de Carnaxide, e simultaneamente, estou em velocidade de cruzeiro para terminar as Ilustrações / paginação do manual de violino para crianças.

Paulo Galindro

Solstício de Verão & Serão de Contos



Ontem demos as boas vindas ao solstício de Verão - e também à grande Luisa Ducla Soares - aqui! Foi uma noite ao ar livre muito serena, com muito chá e bolachas à mistura, e com a luz do sol a teimar em manter-se no horizonte até horas impróprias.
E que bom que é estarmos novamente no Verão!


Paulo Galindro

Segurança na net

Soube disto através do blogue da Dora Batalim, mas o tema da segurança na net é tão importante que gostaria de o reforçar aqui. A Google lançou recentemente um motor de busca totalmente vocacionado para os surfistas virtuais de palmo e meio (até 10 anos). Com esta nova ferramenta, as crianças que navegam na net estão muito mais seguras já que incorpora filtros que impedem o acesso a sites de conteúdos menos próprios.

Paulo Galindro

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Pregadeiras






Finalmente, e após 23.456.342 pedidos de muitas fãs, a Natalina decidiu dar início a uma nova fornada destas pequenas bonecas de pano (não medem mais de 8 cm, perninhas incluídas, à excepção da última que apenas mede 4,5 cm) que se pregam ao peito e pegam ao coração. Das 20 que fez, apenas consegui fotografar estas já que as outras foram imediatamente adoptadas! E estas também só estarão cá em casa mais um ou dois dias.

Paulo Galindro

segunda-feira, 15 de junho de 2009

C.S.I. São Domingos de Rana


"Continuam as buscas para encontrar estes dois indivíduos. Desaparecidos desde ontem, foram pela ultima vez fotografados juntos na famosa Fruit Summer Fest 2009 (fotografia acima), numa residência em São Domingos de Rana, município de Cascais. A polícia de investigação forense recolheu provas no local, tendo sido encontrados vestígios de sais minerais, vitaminas A e Complexo B, algumas cascas e inúmeras pevides. Uma fonte fidedigna informou este jornal que os resultados das análises ao ADN revelaram que os referidos vestígios pertencem aos indivíduos desaparecidos. Todos os participantes na festa (identificados pela polícia através da fotografia acima), assim como os proprietários da referida residência foram interrogados, tendo estes últimos sido constituídos arguidos, por suspeita de duplo homicídio."

Notícia retirada de "O Diário do Dia", 15 de Junho de 2009
Paulo Galindro

2 Rodas: Parque das Nações







É um imenso prazer passear no Parque das Nações em cima de duas rodas. Como se pode depreender da primeira foto, de todos o Miguel foi quem ficou mais cansado. Mais fotos aqui.

Paulo Galindro

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Imprensa

Aqui, uma pequena reportagem sobre a oficina que dei no 2º Encontro Nacional de Ilustração no Masculino, em S. João da Madeira (sobre o mesmo, ver este meu post)

Paulo Galindro

Soul Report: Chuva de Verão

Hoje, quando saía do comboio no Cais do Sodré, choveu muito. Choveu sobre o meu corpo vestido de verão. É tão bom quando isso acontece. É bom ver os pingos a evaporarem rapidamente da minha roupa, dos meus braços, da minha cara. Nunca se chega a estar verdadeiramente molhado.
Não, não me que quero abrigar da chuva, o que quero é abrir os braços para que nenhum pingo se desperdice no chão. Mas também gosto quando isso acontece. Pingos no chão perfumam a terra, e o cheiro da terra molhada inebria-me.

Gosto muito de Sol e adoro chuvas de Verão.


Paulo Galindro

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Declaração de amor aos homens da minha vida!




"Não sei...
Se a vida é curta
Ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos
Tem sentido, se não tocamos o coração das pessoas.
Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.
E isso não é coisa de outro mundo,
É o que dá sentido à vida.
É o que faz com que ela
Não seja nem curta,
Nem longa demais,
Mas que seja intensa,
Verdadeira, pura...
Enquanto durar."

Cora Coralina, pseudónimo de Ana Lins do Guimarães Peixoto Brêtas, poetisa brasileira

Os nossos filhos são Espelhos de nós mesmos. Os seus olhos reflectem tudo o que temos cá dentro, o bom e menos bom.

Através de vocês encetei uma peregrinação dentro de mim, para descobrir facetas que nem eu mesmo conhecia. Sei que sou despistado, distraído, desligado, pessimista, com a cabeça na lua e os pés a 10 cm do chão. Por vezes flutuo ao sabor da mais leve brisa como um grão de pólen, outras arrasto-me pela vida como se fosse Atlas com o mundo às costas. Raramente, muito raramente, tenho os pés bem assentes na terra. Como um animal a perseguir a sua própria cauda, ou mesmo o coelho de "Alice no país das Maravilhas", vivo constantemente atarefado entre os vários mundos que ajudei a criar e em que vivo simultaneamente - Pai, marido, ilustrador, arquitecto, pintarriscos e tudo o resto. Faço muitas coisas que me dão um prazer inconfessável, e nesse aspecto sou um privilegiado. No entanto, muita da minha energia vital se escoa neste processo diário de desligar e ligar diferentes interruptores que muitas das vezes se contradizem entre si... um processo turbulento que confesso não domino, antes sou dominado, e que me tira o tempo, o sono, a paciência, o vagar e o brincar. Ainda não aprendi nem apreendi o equilíbrio e a harmonia entre os opostos, o deixar fluir a vida e a aceitar essa fluidez com um sorriso de sol nos lábios. Tal como muitas vezes no mar onde gasto muitas forças a lutar contra a corrente, assim acontece na minha vida. Tenho 38 anos, e um tudo imenso para aprender, mas de uma coisa tenho a certeza, João e Miguel, vocês foram o que de mais importante me aconteceu em toda a minha vida. Duas bênçãos nascidas de um grande amor que entraram de rompante na nossa vida e para as quais não existe qualquer manual de instruções que nos prepare.

Sei que para vocês o Pai é muitas vezes inalcançável, rezingão, chato, cansado, impaciente, autoritário, barulhento, resmungão, grande, pequeno, forte, fraco, muitas vezes ausente, e que parece gostar muito de ralhar. Mas acreditem, no turbilhão dos meus dias vocês são:
o meu Farol de Alexandria, a minha Gruta de Ali Bábá, o meu Tesouro do Barba Ruiva, a minha Arca da Aliança, a minha Atlântida, o meu Eldorado, os meus mestres Jedi, a minha ilha de Avalon, os meus Espelhos Mágicos, a minha Terra do Nunca, o meu Santo Graal, o meu Mundo de Aventuras, a minha Eternidade e Imortalidade, a minha lenda pessoal.

São simplesmente o mais próximo que alguma estarei do Divino!


Muito obrigado por tudo o que me ensinaram e ainda me vão ensinar. É um prazer para sempre renovado partilhar convosco este planeta e este tempo.


Um beijo-elefante e uma carícia-formiga...

Amo-vos!


Pai Paulo
Nota Final: Os créditos das fotografias vão todos para a Mãe Natalina.

Feira do Livro





Confesso que este ano a Feira do livro passou-me completamente ao lado. Na verdade nem sequer me apercebi que a mesma estivesse a acontecer (e quem fala a verdade não merece castigo, não é verdade?). Também devo confessar que prefiro muito mais ir a uma boa livraria e perder-me lá dentro - nos livros e no tempo - do que ir à Feira do Livro, onde milhares de livros entram pelos meus olhos, numa cacofonia visual emoldurada pelo calor que normalmente se faz sentir nesta época do ano. Fico sem saber o que olhar, pegar, desfolhar ou comprar... e normalmente acabo por não comprar mesmo nada. Quanto aos descontos nos preços, à excepção dos livros do dia, também não os acho nada convidativos. Ou se compram mesmo muitos livros - uma ideia que normalmente entra em confronto com as traças que saem das carteiras abertas dos portugueses - ou então o dinheiro que se poupa em descontos não dá nem para pagar os comprimidos contra as enxaquecas que teimam sempre em aparecer-me quando visito este evento. Isto, como é óbvio, é apenas uma opinião pessoal que não pretende tirar qualquer mérito a tão importante evento, fundamental - desde que bem produzido - na promoção da leitura em todas as idades.

Em cima apresento fotografias do stand da editora "Livros Horizonte" que me foram enviadas pela minha amiga Manuela, funcionária dessa mesma editora, e que não obstante a sua qualidade (telemóvel) surpreenderam-me pelo seu conteúdo. Obrigado Manuela, pela sua constante atenção.

Post Scriptum: Pela Manuela, fiquei também a saber que "O Cuquedo" esgotou completamente, e que nas próximas três semanas sairá a segunda edição.
Paulo Galindro
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...