sexta-feira, 5 de junho de 2009

Soul Report: Chuva de Verão

Hoje, quando saía do comboio no Cais do Sodré, choveu muito. Choveu sobre o meu corpo vestido de verão. É tão bom quando isso acontece. É bom ver os pingos a evaporarem rapidamente da minha roupa, dos meus braços, da minha cara. Nunca se chega a estar verdadeiramente molhado.
Não, não me que quero abrigar da chuva, o que quero é abrir os braços para que nenhum pingo se desperdice no chão. Mas também gosto quando isso acontece. Pingos no chão perfumam a terra, e o cheiro da terra molhada inebria-me.

Gosto muito de Sol e adoro chuvas de Verão.


Paulo Galindro

5 comentários:

Coisa Boa disse...

Adoro o cheiro a terra molhada, sobretudo em Setembro, depois de um verão bem quente!!!
Também gosto da chuva na cara.Mas hoje apetecia-me sol!!!!
Bom dia...

Qual Albatroz disse...

Eu hoje vim de mota para o trabalho. E a chuva soube-me tão bem. Estou contigo nisso, Paulo.

Natalina Cóias disse...

Ás vezes a chuva de quase verão consegue molhar o coração...outras vezes não...

Simples Maria disse...

Chuva!!! Definitivamente não... eu sou SOL...muito SOL...
Esse sim envolve-nos e aquece-nos o corpo e a alma.
Um dia de chuva para mim...é um dia de depressão!!!
Não Paulo, braços abertos a receber o SOL ...a chuva só mesmo debaixo do guarda-chuva....

jardinsdeLaura disse...

Momento muito bem descrito(!) duma sensibilidade quase poética! Que ainda por cima me recordou tempos passados em África, num país de clima equatorial, onde sempre que chovia a terra desprendia aromas fortes... quase inebriantes! Gostei de recordar!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...