quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Parabéns Skye


Ela era assim...
... depois assim...
... e agora, é assim!

Há dois anos atrás, nascia no Montijo esta criatura linda - Afrodite (*) - que 2 meses depois, já como Skye, mudaria profundamente, e para sempre, a nossa vida. Uma tatuagem de pelo, língua, loucura, amizade incondicional e energia infinita que não deixa indiferente ninguém.

Já aqui tinha feito uma breve descrição sobre esta criatura... que tomarei a liberdade de repetir:


A Skye tem uma bateria interminável;
Gosta muito de fazer jogging comigo;
Gosta de puxar-me a mim e ao meu skate (e acreditem, a velocidade que atingimos mete medo... muito medo!)
Adora jogar ao disco (é impressionante os saltos que dá para abocanhá-lo em pleno voo) e futebol;
Já comeu um comando de televisão e quase a totalidade de uma das pilhas (no dia seguinte as fezes pareciam uma calculadora com as teclas de borracha todas baralhadas), alguns brinquedos dos miúdos e uma embalagem de adoçante;
Adora crianças e pespegar beijinhos aos mais incautos (e quando digo beijinhos, é uma forma muito simpática de falar... na verdade são lambidelas épicas e muito, muito molhadas);
Gosta de correr;
Gosta de correr atrás de praticantes de skate, de patins em linha e também ciclistas (e parece gostar ainda mais daqueles que dizem um bom par de palavrões ao verem a fera correr desalmadamente na sua direcção);
É meiga, melga e marota;
Ás vezes é mais inteligente que um golfinho, outras mais burra que uma galinha careca decapitada (mas isso não me preocupa... eu também sou assim!)
Não é lá muito obediente
e solta gases com discrição (sonora apenas).

Ah! E está linda de morrer!


Parabéns Skye!

(*) Afrodite era de facto, o seu nome de nascimento. Mudámos para Skye, em homenagem à ilha com o mesmo nome, na Escócia, onde a minha promessa de não ter mais cão nenhum após a morte da Ruth começou, aos poucos, a diluir-se, ainda que de uma forma inconsciente. Skye é um bom nome, com duplo sentido, e melhor de tudo, curto. Mas a Skye é tão pinga amor, ternurenta e melga nas manifestações de amor para com os seres humanos em geral, que já várias vezes me perguntei se terá sido uma boa opção não manter o seu nome de origem... Afrodite, a deusa do Amor.

2 comentários:

Lídia Borges disse...

O meu gato Gaspar morreu e, desde esse dia, "jurei" não querer outro... E não é que ultimamente só penso porque será que não me aparece à porta um gatito com fome? Até já inventei um dentro de uma história para ler aos meus alunos.

Bonito este cantinho!

Lídia

Silvia Mota Lopes disse...

É mais que um cantinho lídia é um mundo ao qual também tu podes pertencer, o Paulo é um excelente ilustrador,uma pessoa criativa, sensível e tem uma paixão louca o "livro", tudo que envolve o livro infanto juvenil...e tu ?
Paulo a Lídia Borges é uma pessoa super amorosa, e escreve contos para todas as idades e poemas que nos enchem o coração:)
Já estão apresentados:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...