sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Biblioteca Municipal de Carnaxide: Passo-a-Passo 17


Dia#9

Pintar é para mim um porto de abrigo. Quando sobrevoo os mundos criados por mim com tintas e colagens e a eles me abandono em queda livre, nesses momentos encontro paz de espírito, harmonia com o universo e uma felicidade e alegria puras. Um estado de meditação e contemplação tão puros que nunca consegui atingir em qualquer outra actividade de carácter "mais espiritual"... seja yoga, meditação transcendental ou até mesmo Reiki.
Quando pinto sinto-me protegido de um mundo exterior que por vezes se torna confuso, desanimador e sem rumo... como uma criança in utero.
Hoje foi um desses dias mágicos. Entrei na Biblioteca às 18:10 e só saí de lá à 1:00 da manhã. Nem parei para jantar. 7 horas que para mim foram 7 minutos.

Em termos de trabalho, comecei exactamente pela cabeça da personagem. Redefini-lhe o volume, retoquei sombras e altas-luzes, adicionei-lhe os olhos, o nariz, a boca, e aos poucos a sua personalidade foi surgindo por debaixo dos pincéis: maternal, acolhedora, quente, optimista, traquina e irreverente. Ofereci-lhe um chapéu original, e por baixo, um cabelo rebelde em tons de castanho. Por ser uma menina, coroei-a com uma tiara de frutos silvestres, que infelizmente não consegui acabar. A gargantilha / rodela de laranja também foi terminada, ficando tudo a postos para começar a pintar o corpo. O livro, com a capa já adiantada, ficará para uma próxima sessão.

Falando de paisagens sonoras, comecei a sessão com o "Requiem" de Wolfgang Amadeus Mozart, uma obra-prima portentosa de luz e escuridão - que o compositor idealizou para o momento da sua própria morte - e que eu simplesmente adoro. A horas seguintes seriam agraciadas pelos sons divinos dos Sigur Rós, com o álbuns "()", "Hvarf / Heim", "Takk" e "Með suð í eyrum við". Não me canso de dizer que grande parte da banda sonora da minha vida é preenchida pela música deste senhores.

Paulo Galindro

5 comentários:

ecila disse...

Está lindo, adoro!!! E gostei bastante dos Sigur Rós, que nao conhecia, obrigada :)

Rita Mira disse...

Adoro a expressão dela!!!
Faz-me pensar numa princesa que decidiu fugir do seu reino e viver a vida fora do mundo "dos castelos". É uma princesa que quer experimentar coisas novas, ser diferente do seu habitual vestido cor-de-rosa com folhos e roda e fazer todas as tontices que lhe passem pela cabeça. É sonhadora e quer fazer com que os outros sonhem com ela. Vejo-a num jardim a contar uma história para quem a quiser ouvir...

Eu sei que isto não se faz, porque o Paulo tem uma história tão própria quando criou esta personagem... mas foi o que me veio à cabeça quando vi a expressão dela!!! :)

ADORO-A!

Simples Maria disse...

Está linda Paulo....eu que a vi nascer, crescer...!!!
Quando ficar pronto vou lá..tocar...como toquei no esboço!!!
Linda, Linda...

Pintarriscos disse...

Obrigado a todos pelos comentários agradáveis. Apareçam mais vezes por aqui, pois vou colocar aqui todo o processo, do princípio ao fim, de concepção e realização deste trabalho. Ah! E por favor, sintam-se livres de dar sugestões.

Pintarriscos disse...

Olá Rita. Obrigado pela visita. Achei muito boa a interpretação que fez da personagem. Apesar de algumas das observações que fez não estarem de facto na base do seu nascimento, na verdade acertou em muitas delas. Mas do que gostei mesmo foi do facto de se sentir livre para a interpretar, o que é fascinante. É exactamente isso que sempre pretendi quando faço ilustração.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...