quinta-feira, 2 de abril de 2009

A mulher mais bela do mundo


Era uma vez uma menina que se chamava Olguita.
Olguita estava sentada à porta de uma casa, lavada em lágrimas. Ela chorava, chorava, chorava…
A dada altura, as pessoas que passavam pararam e perguntaram-lhe: -“Porque choras, menina?”
Ela respondeu-lhes: -“Porque perdi a minha mãe.”
E as pessoas da aldeia insistiram: -“Mas como se chama a tua mãe?”
- “Chama-se mãe!”, respondeu-lhes.
- “Mas, onde é que ela vive? Onde é que tu vives?”, tornaram elas.
-“Eu vivo na minha casa!”.


Já ninguém sabia o que havia de fazer. Mas ainda assim, voltaram a perguntar-lhe: -“Com quem se parece ela? Como é a sua cara? Podes descrever a tua mãe?” -“Oh! A minha mãe é a mulher mais bela do mundo”, disse a menina. Foi então que decidiram trazer todas as jovens mães da aldeia à presença de Olguita. -“Não, esta não é a minha mãe. Não, esta também não é. E aquela também não!”E recomeçou a chorar.



Subitamente, uma mulher de avental apareceu do outro lado da rua. Era uma mulher muito, muito gorda, de cara redonda e anafada, com uns olhos que brilhavam de alegria.Logo que viu a filha, correu para junto dela e exclamou: -“Minha filhinha, minha pequena Olguita!” E a menina saltou para o colo da mulher, abraçou-a e, virando-se para as pessoas da aldeia, disse: -“Vêem, esta é a minha mãe, a mulher mais bela do mundo!”

Conto russo transcrito por Holly Paxton
Publicado em "Um mundo de criança - Aprender a ler o mundo", Oikos



Há uns meses fui convidado para participar no 2º Encontro Nacional de Ilustração, que irá acontecer nos dias 14 a 16 de Maio, em São João da madeira. No seguimento do 1º Encontro Nacional de Ilustração no feminino, que reuniu em 2008 um total de 34 ilustradoras, o evento incidirá este ano apenas em ilustradores do sexo masculino, mantendo no entanto o mesmo texto a ilustrar, i.e., "A mulher mais bela do mundo", acima transcrito. Uma opção muito interessante, já que para além de proporcionar um vasto leque de abordagens sobre um mesmo estímulo, permitirá ainda observar a forma como as sensibilidades masculina e feminina intervêm num mesmo texto, que curiosamente incide sobre a maternidade.
A cada ilustrador foi solicitado um conjunto 3 ilustrações, com as dimensões máximas de 25 cm.
As ilustrações que aqui apresento são aquelas com que participei, e foram realizadas em técnica mista sobre MDF de 3mm.

Paulo Galindro

11 comentários:

Anis disse...

L-I-N-D-O!!!!!
Beijinhos

Coisa Boa disse...

Estão lindas!
Parabéns...

Simples Maria disse...

Acabei de
ver..toquei...senti... "as tuas filhas" AMEI..
Parabéns Paulo....

Anis disse...

Agora que vi os originais, volto a escrever L-I-N-D-O!!!!
Beijinhos

ecila disse...

Absolutamente lindo!

Julia disse...

oI.....SOU DO BRASIL e me chamo Julia,....

Adorei seu blog...
entrarei sempre......

beijos

Pintarriscos disse...

Obrigado a todos pelas palavras simpáticas. Adorei fazer este trabalho. A maternidade é um tema que me é muito especial. Quanto a ti Julia, que és do Brasil, escusado será dizer, "mi casa, su casa".

Pintarriscos disse...

estou desejosa que voltem depressa para colocá-las nas nossas paredes! AMO-TE!!!

ana disse...

Estão muito bonitas Sr. Ilustrador =)
é com orgulho que aqui passei para dizer a todos que estas pinturas já passaram pelas minhas mãos =)
Dia 14 de Mio quero um autografo !!!
Ana Lúcia

Pintarriscos disse...

Será com o maior prazer que o farei, Ana. Fiquei muito feliz que tenha gostado.

PS: Pode chamar-me Paulo.

jardinsdeLaura disse...

Gostei imenso! Tanto das ilustrações quanto da história ambas duma simplicidade e duma beleza extremas! Parabéns!
Voltarei sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...