quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Manhãs Gloriosas #5







Strange, to wander in the fog.
Each bush and stone stands alone,
No tree sees the next one,
Each is alone.
My world was full of friends
When my life was filled with light,
Now as the fog descends
None is still to be seen.
Truly there is no wise man
Who does not know the dark
Which quietly and inescapably
Separates him from everything else.
Strange, to wander in the fog,
To live is to be alone.
No man knows the next man,
Each is alone.


Hermann Hesse "In the Fog"


Mais uma manhã de nevoeiro na Capital.
Lisboa é uma cidade solar, mas fica tão bem envolta em 8 tons de cinza.
Talvez seja porque me apazigua de uma forma que está para além das palavras,
ou porque mexe com uma faceta gótica que vive dentro de mim (quem não a tem?),
ou porque me envolve como um casulo de vapor de água...
Sei lá... nem me vou preocupar com isso.
Só sei que adoro fotografar estes momentos em que tudo parece balançar entre o eterno e o etéreo.




2 comentários:

Silvia Mota Lopes disse...

A nostalgia também nos invade
Voluntariamente ou
Involuntariamente
Por momentos não é azul
Por momentos é cinzenta
Por momentos te sentes só
Mas estás acompanhado
Por momentos és mudo
Numa multidão surda
Por momentos queres gritar
Falar, dizer, cantar, expressar
Por momentos
Parece que não os tens
Captas os momentos
Criando imagens de ti mesmo
Olhas à volta de tudo
Tudo te parece só
Alguém tocou
Olhou
Para o que parece intocável
Os sentidos às vezes enganam
Quando sentires verdadeiramente
Verás o que é realmente importante
:)

Silvia Mota Lopes disse...

é verdade...as fotografias estão lindas! consegues captar bem os momentos! beijinhos para todos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...